Problemas estressantes como brigas com o companheiro, história de separação ou divórcio, problemas de saúde grave, sequestro, história de incêndio ou catástrofe, morte de pessoa próxima, assalto, abuso sexual, agressão física são fatores que também podem desencadear a depressão, mas ela também pode se desenvolver em pessoas que não tiveram expostas a estas situações. 
Os antidepressivos são medicamentos que tratam a depressão. Eles podem ajudar a melhorar a maneira como seu cérebro usa certos produtos químicos que controlam o humor ou o estresse. Talvez seja necessário testar alguns medicamentos antidepressivos antes de encontrar o que melhor se adapta ao seu organismo, atenua os sintomas e tem menos efeitos colaterais. Um medicamento que ajudou você ou um membro próximo da família no passado será muitas vezes considerado.
Com base na análise dos dados recolhidos durante o sono, dos 4.098 participantes (homens e mulheres) com idades entre 18 e 65 anos, os pesquisadores descobriram que mesmo o consumo de álcool considerado baixo (um copo, pelos padrões internacionais) é capaz de interferir no sono e afetar a recuperação fisiológica em 9,3%. Já o consumo moderado diminuiu a qualidade do sono em 24%, e o alto consumo de álcool em até 39,2%.
Saber eu mudo de humor rápido posso fica triste querendo fica sozinha choro fico com raiva e principalmente esqueço das coisas. Sempre acho que não vou conseguir desânimo rápido da vida. Acho que pior de tudo que as pessoas ao meu redor não me entende. Acha que é “frescura” não sei as vezes me imagino enfiando uma faca na minha barriga sempre quando estou me sentindo mau… Se eu fala isto pra alguém vão dizer que sou demente. Mas tem hora que mundo saber como te deixa pra baixo.!
A depressão na gravidez afeta o bebê, pois as mães deprimidas têm maiores alterações hormonais, menos cuidado com a alimentação e com a saúde, e interagem pouco com o bebê em formação, o que prejudica o desenvolvimento fetal, o que comprovadamente aumenta as chances de parto prematuro e bebê com baixo peso. Além disso, as mulheres com depressão no último trimestre de gestação tem maior necessidade de epidural, parto com fórceps e os recém-nascidos tem mais necessidade de internamento na neonatologia. Saiba como o nervosismo pode afetar o bebê.
Em casos cujas crises são muito frequentes e intensas, é importante a intervenção psiquiátrica, aliada à psicoterapia. Atividade física e a busca por momentos de pausa (como destinar um tempo a não fazer nada e simplesmente estar consigo mesmo, pensar sobre suas escolhas, inserir práticas de meditação/oração na rotina) costumam ser bons aliados, além de técnicas de relaxamento e acupuntura. Infelizmente a maioria das pessoas só busca ajuda quando as crises já se tornaram incapacitantes.
Também apelidada de depressão anteparto, esta é uma desordem de humor tal como a depressão clínica. É uma doença biológica que envolve uma mudança dos químicos cerebrais. Porque as hormonas se alteram durante a gravidez, esta mudança afeta a química cerebral, algo que pode estar relacionado com a depressão e ansiedade. A gravidez, em conjunto com os problemas complicados que possam existir na vida, amplifica estes sintomas.
Os autores enfatizaram que a importância destes dados está relacionada ao fato de que tanto para o tratamento do alcoolismo como da depressão os fatores lidados ao contexto de vida dos pacientes são importantes. Para pacientes deprimidos, o uso do álcool é um obstáculo ao sucesso do tratamento, para pacientes alcoolistas, a presença de sintomas depressivos é um fator de risco para recaídas, principalmente para aqueles que utilizam a álcool para lidar com as situações e emoções negativas. Os tratamentos devem incorporar estratégias que ajudem os pacientes a lidar com situações adversas da vida e incorporar a família como importante fonte de apoio emocional para os pacientes depressivos.
Outro ponto importante, mas frequentemente negligenciado, diz respeito aos riscos que uma depressão não tratada corretamente pode gerar à gestante, à gravidez e ao feto. Gestantes deprimidas apresentam taxas mais altas de não adesão ao pré-natal, maior uso de álcool, cigarros e outras substâncias psicoativas e padrão irregular de sono e alimentação.

O tratamento da depressão durante a gravidez de curso severo a qualquer momento é possível por terapia eletroconvulsiva. O método baseia-se na supressão de hormônios do estresse provocando convulsões. Como alternativa ao tratamento de drogas, a acupuntura também é utilizada, caracterizada por um mínimo de efeitos colaterais. O trabalho em pontos de acupuntura para combater um transtorno mental leva de 4 a 8 semanas.


O quadro é chamado Transtorno Afetivo Unipolar, quando o indivíduo só apresenta fases depressivas, e Bipolar, quando o indivíduo apresenta fases depressivas e apresentou pelo menos uma fase maníaca. O termo "mania" se refere a um quadro onde há elação do humor, gerando: euforia, irritabilidade, sentimento de grandiosidade, etc. E não se refere ao uso leigo da palavra mania.
Eu me odeio me sinto inútil várias vezes já tentei suicídio penso todos os dias o porque de eu estar ainda aqui e como se a angústia tomou o meu corpo inteiro eu sofro de ansiedade e as vezes é tão ruim que eu preciso tomar algo pra me acalmar isso acaba afetando o meu físico sinto muitas dores principalmente no peito falta de ar todo o tempo sofro de insônia e isso tudo já faz 1 ano eu nunca me abri pra alguém pois quando eu tocava no assunto as pessoas me julgavam e isso me destruía porque eu sempre me preocupei com os outros não comigo isso acaba comigo sinto que o meu tempo está acabando e sinceramente não vejo a hora que tudo acabe uma vida infeliz pra que não sinto mais aquela alegria de antes o que é você ir dormir todos os dias as 3,4 da manhã chorando e se sentindo inútil pra tudo eu sempre estrago tudo não sou uma boa filha nem uma boa amiga não sou uma pessoa boa porque eu fracasso em tudo tudo sempre acaba dando errado eu tenho medo muito medo tem dias que é um sofrimento pra mim ter uma noite de paz sempre passo mal e tenho náuseas também cara porque tá acontecendo isso eu não quero isso eu quero sumir sempre tentei ser boa sempre tentei agrada os outros mas acabava me dando mal por isso minha auto estima tá lá em baixo eu odeio tudo isso porque eu não sou suficiente
O Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro mostra que a prevalência de depressão gestacional é de aproximadamente 15% entre países desenvolvidos e cerca de 22% em países em desenvolvimento. A depressão é associada a fatores como história prévia de transtorno psiquiátrico, características sociodemográficas (baixa renda), estado civil, gravidez não planejada, complicações obstétricas, tabagismo, alcoolismo, eventos estressantes como furto e roubo, por exemplo, e ausência de apoio social, sendo esse último ponto um dos mais cruciais para muitas gestantes.
Ocupe-se com atividades divertidas: A partir do momento que as pequenas belezas da vida estiverem mais evidentes, fica mais fácil recomeçar a encarar atividades que um dia já foram divertidas. Se isso não parece animador, então procure novas diversões. Busque novidades, aprenda coisas novas e prazerosas, viaje, fuja das notícias ruins e das pessoas negativas.

As intervenções psicoterapêuticas são particularmente úteis nas situações ligeiras e reactivas às adversidades da vida bem como em associação com medicamentos nas situações moderadas e graves. A decisão de iniciar uma psicoterapia deve ser sempre debatida com o seu médico: a oferta de serviços é grande, não é auto-regulada, e é difícil a pessoa deprimida conseguir escolher o que mais lhe convém sem ajuda médica.
Pesquisas recentes revelam que até a dieta influencia as emoções. Nesse quesito, vale se inspirar no cardápio dos mediterrâneos, abastecido de azeite de oliva, peixes, frutas, verduras e oleaginosas (nozes, castanhas…). As gorduras e os antioxidantes presentes nesse menu estão associados à maior proteção e conservação das redes de neurônios. Quando a comunicação entre as células nervosas está afiada, não sobra espaço para a angústia se apoderar da cabeça.
Com o crescente desenvolvimento de pesquisas nessa área, passamos a acumular novas informações sobre o uso de antidepressivos na gravidez. Hoje dispomos de medicações bastante seguras, que podem ser usadas durante a gestação, assim como podemos nos beneficiar da eficácia de outras modalidades de tratamento como aconselhamento, grupos de ajuda mútua, psicoterapias, ou mesmo tratamentos complementares ou alternativos como, por exemplo, suplementação alimentar com ômega 3, terapia de apoio e terapia com luz.
No entanto, e apesar de tudo, permanece o facto de que cada vez mais pessoas se encontram medicadas e em tratamento de uma situação depressiva. As perturbações do humor, onde se incluem depressões maior, distimias e bipolaridade exigem, pela sua elevada incidência e, muitas vezes, significativa gravidade, que os psicólogos se mantenham muito atualizados, do ponto de vista científico e focados na procura permanente de soluções mais eficazes, mais rápidas e mais abrangentes.
Com o crescente desenvolvimento de pesquisas nessa área, passamos a acumular novas informações sobre o uso de antidepressivos na gravidez. Hoje dispomos de medicações bastante seguras, que podem ser usadas durante a gestação, assim como podemos nos beneficiar da eficácia de outras modalidades de tratamento como aconselhamento, grupos de ajuda mútua, psicoterapias, ou mesmo tratamentos complementares ou alternativos como, por exemplo, suplementação alimentar com ômega 3, terapia de apoio e terapia com luz.
Repito: depressão, ansiedade e síndrome de pânico são problemas graves. Esses inimigos aparentemente invisíveis da saúde e do coração não são simples crises de tristeza, abatimento ante um fato pontual da vida ou melindre, temperamento e capricho, como às vezes são interpretados pela sociedade. Falamos de doenças que merecem máxima atenção, apoio e tratamento médico especializado. Inclusive pelo bem do coração!
Tenho depressão profunda a 14 anos não tem cura eu acho que quando estou saindo dela eu estou 20 degraus a baixo estou e entrado mais está esta doença está me acabando eu faço tratamento a 10 anos antes já tinhas outros problemas emocionais hoje sou cheio de problemas de saúde por causa da depressão profunda tenho pressão alta qualidade de vida baixa não tenho amigos e dou bipolar também
Nenhum médico predica quais conseqüências a depressão causa durante a gravidez. Pesquisadores do Canadá descobriram que as crianças, que foram colocadas em condições de instabilidade psico-emocional, após o nascimento podem ter um peso pequeno, desenvolvimento tardio e distúrbios do sono. Uma futura mãe deve ser vista por um especialista em caso de uma condição de ansiedade insuportável.
Prática de atividade física: de acordo com o psiquiatra, é preciso fazer um exercício aeróbico pelo menos três vezes da semana para que haja efeito significativo na redução da ansiedade. A psicóloga Adriana de Araújo ressalta o efeito relaxante dessas atividades, principalmente ao mexerem com a respiração. "Dar um novo foco para o corpo e a mente nos possibilita desenvolver novas formas de relaxamento e serenidade", pondera a especialista.
Pesquisas recentes revelam que até a dieta influencia as emoções. Nesse quesito, vale se inspirar no cardápio dos mediterrâneos, abastecido de azeite de oliva, peixes, frutas, verduras e oleaginosas (nozes, castanhas…). As gorduras e os antioxidantes presentes nesse menu estão associados à maior proteção e conservação das redes de neurônios. Quando a comunicação entre as células nervosas está afiada, não sobra espaço para a angústia se apoderar da cabeça.
— De forma geral, parar o tratamento pode ser mais perigoso do que seguir com ele sendo adaptado e reajustado. É claro que há um risco e é necessário ter acompanhamento de um psiquiatra, mas não deveria haver tanta mulher sofrendo durante a gravidez sem necessidade. É preciso avaliar sempre os riscos e benefícios do tratamento, porque a própria depressão não tratada pode oferecer riscos ao feto. As grávidas deprimidas não fazem o pré-natal adequado, o bebê tem crescimento intrauterino restrito, pode nascer com baixo peso, parto prematuro. O ideal seria fazer um tratamento multiprofissional, com o psiquiatra e o obstetra, mas, na prática, a gente ainda não vê isso.
A partir da décima semana de gravidez, você pode descartar o risco de alterações cromossômicas no bebê com uma simples coleta de sangue para estudo genético, parecido a qualquer outro exame de sangue. O teste pré-natal não invasivo NACE, irá confirmar que seu bebê está livre da Síndrome de Down, da Síndrome de Edwards e da Síndrome de Patau, além de revelar o sexo do bebê muito antes do que a ultrassonografia é capaz de detectar.
No momento em que eu segurei Jack pela primeira vez foi um momento que eu nunca vou esquecer. Eu senti como se toda a tristeza e desespero que eu estava sentindo nos nove meses anteriores desapareceram. Esses primeiros dias no hospital eram perfeitos. Quando cheguei em casa, experimentei um pouco de depressão pós-parto, mas depois de algumas semanas isso se foi também. Mesmo tendo iniciado a viagem mais difícil da minha vida, senti ser também a mais interessante. Apesar de tudo o que eu tinha atravessado, tudo valeu a pena – todos os meus pensamentos irracionais eram apenas isso, e eu era (e ainda sou) completamente apaixonada pelo Jack.
Saber eu mudo de humor rápido posso fica triste querendo fica sozinha choro fico com raiva e principalmente esqueço das coisas. Sempre acho que não vou conseguir desânimo rápido da vida. Acho que pior de tudo que as pessoas ao meu redor não me entende. Acha que é “frescura” não sei as vezes me imagino enfiando uma faca na minha barriga sempre quando estou me sentindo mau… Se eu fala isto pra alguém vão dizer que sou demente. Mas tem hora que mundo saber como te deixa pra baixo.!
Para muitas pessoas, a hora de dormir pode ser o único momento em que é possível refletir sobre a rotina. Por conta disso, tendemos a pensar em preocupações e antecipar o que devemos fazer no dia seguinte. Consequentemente, nossa mente entende o momento de deitar-se na cama como um fator estressante, o que aumenta nossos níveis de adrenalina no período noturno, e impossibilita o sono.
×